Blog

Onde está a felicidade

Está dentro da pessoa que a sente. O mundo é igual para todos, cada um faz sua vida de acordo com seus pensamentos, seus sentimentos, sua índole, seu caráter, suas atitudes. O que vai acontecendo conosco durante uma encarnação,

desde a constituição de nossa infância, é decorrente de nossas encarnações passadas, de acordo com o nosso merecimento. O que se apresenta para nós a todo instante é fruto do que plantamos. Quem planta espinhos, colhe espinhos; quem planta flores, colhe flores. Podemos mudar nosso destino para melhor. Quando? Agora! Como? Com uma atitude positiva, com retidão, com amor, com firmeza.

A felicidade é possível desenvolvendo-se a aceitação, olhando para os lados, percebendo pessoas com uma vida pior do que a nossa, saindo do egocentrismo sofredor. O ser humano freqüentemente está se queixando de alguma coisa, sempre tem algo faltando… E o que tem não valoriza. A finalidade da encarnação é a busca da evolução espiritual e aí está o sentido da vida. Isso tem de ser realizado pela “casca” e esta é a missão de cada um de nós. Sem a crença na Reencarnação, que são as vindas sucessivas do Espírito para a Terra em busca da sua purificação, a vida não tem sentido e o fato de não se acreditar nela é uma das causas das desigualdades sociais, do racismo, do materialismo, da futilidade, da depressão, dos suicídios e de tantos outros males que afligem os seres humanos, quando eles vivem apenas para essa vida material e para si, não para o seu Espírito e para a eternidade.

Se uma pessoa branca, racista, soubesse que não é branca, e sim que está numa “casca” branca, não desgostaria de pessoas de “casca” negra, pois eles não são negros, estão negros. Eu mesmo já me vi negro em uma encarnação passada; dessa vez, estou branco. E na minha próxima encarnação, virarei homem ou mulher? Branco ou negro? Brasileiro ou de uma outra nacionalidade? Essas são algumas das ilusões da vida encarnada e devemos estar atentos a elas.

Essa nova Psicologia que chamamos de Psicoterapia Reencarnacionista é a Psicologia da evolução espiritual, através do tempo. É a Terapia da Reforma Íntima, a Terapia do aproveitamento de uma encarnação. 

E o mais importante no aproveitamento de uma encarnação é buscarmos, dentro de nós mesmos, uma convicção pessoal a respeito da Reencarnação e é fundamental que cada um encontre a sua própria verdade interna; não por livros ou opiniões, não pelo que está escrito ou lhe dizem, mas sim a partir de suas próprias vivências e experiências. Aí sim pode seguir o caminho que julgar mais adequado para si, porque tem a certeza da experiência própria, da vivência pessoal. A opinião sobre um assunto sem essa participação interna pode ser cega, não consolidada na experiência própria, baseada apenas no que vem de fora, sem uma sólida base interna e isso gera o fanatismo, que é a maneira corriqueira pela qual a insegurança se manifesta.

Na verdade, o grau de evolução espiritual de cada pessoa depende mais do seu caráter do que de sua crença religiosa, mais de sua prática do que da teoria. O que se chama de fé pode ter pouco valor se apenas se basear no que nos dizem ou sedimentar-se em dogmas estabelecidos há muito tempo e que, então, não estão predispostos a mudanças e questionamentos. A verdadeira fé vem da vivência pessoal no sentido do conhecimento.

A Psicoterapia Reencarnacionista quer ajudar todos nós a proporcionarmos ao nosso Espírito um real aproveitamento dessa encarnação, pois costumamos repetir o mesmo erro, encarnação após encarnação, visto que voltamos com as mesmas características do nosso Espírito expressas na personalidade – o que chamo Personalidade Congênita – trazendo a mesma maneira de sentir e reagir aos fatos da vida terrena. Teremos, então, a tendência de repetir os mesmos raciocínios e as mesmas ações equivocadas. 

Algumas das chaves para o aproveitamento de uma encarnação são a Personalidade Congênita e a clareza a respeito de que somos um Espírito e não a “casca” que serve apenas para torná-lo visível. O Espírito vem para a Terra para purificar-se, concretizar sua evolução e necessita de uma “casca” para fazer-se visível; mas aí, passa a acreditar que é a “casca” e, freqüentemente, pouco aproveita essa oportunidade.

Viemos para evoluir espiritualmente; encarnamos para que nossas inferioridades venham à tona e possam ser melhoradas ou eliminadas, o que não ocorre quando estamos no Astral, por falta das dificuldades, dos “gatilhos” que as façam emergir. Os fatos da vida terrena são os fatos, nós reencarnamos para passar por fatos e o importante é o que aflora de inferior de dentro de nós quando vivenciamos esses fatos; aí está a finalidade da encarnação! 

Muitas pessoas ficam presas por mágoas, por raiva, aos eventos negativos de sua vida, não percebendo que eles são potencialmente positivos para a sua evolução espiritual. Esquecem de ver os seus defeitos, acreditam que eles brotaram dos fatos e deixam, assim, de evoluir mais. E queixam-se do pai, da mãe, dos irmãos, esquecendo dos laços cármicos que os unem, dos resgates. E queixam-se do marido, da esposa, dos filhos, sem saber o que foram em vidas passadas, por que se reencontraram… 

Aqui é o Astral Inferior, um lugar onde estamos como numa prova de obstáculos e a cada momento surge uma dificuldade. O objetivo da prova é vencer. E Deus não dá um fardo maior do que podemos carregar. Algumas pessoas têm a estirpe do vencedor e cada obstáculo, cada barreira, é uma motivação para lutar, para vencer, para crescer; esses evoluem rapidamente.

Algumas pessoas levam muito tempo em cada barreira, vacilando, fraquejando, parece que vai… mas não vai, sofrem, queixam-se demasiadamente, perdem tempo com pena de si mesmos; enfim, terminam por vencer, mas levaram um tempo exagerado nisso. De repente, termina a encarnação, ficando o restante da pista de obstáculos para a próxima…

Parece que algumas pessoas nasceram para perder… Qualquer obstáculo lhes parece intransponível, qualquer barreira é grande demais para eles, em tudo vêem dificuldades e aí a sua evolução espiritual é lenta. Encarnação após encarnação, lá vão eles, deprimindo-se, sofrendo, bebendo, fumando, se autodestruindo, usando drogas, pensando em suicídio… 

Vamos aproveitar a encarnação! Vamos crescer, nos libertar, nos desenvolver, evoluir nosso Espírito, ampliar nossa capacidade de amar, de ser gentil, caridoso, honesto, íntegro, sincero, simples, despojado, coerente.

A Psicologia e a Psiquiatria a de se libertarem de antigos dogmas religiosos que impedem que lidem com a reencarnação e a ação dos Espíritos sobre nós e para ajudar as pessoas a entenderem para o que reencarnaram, como estão indo nessa encarnação; fazendo uma avaliação dessa passagem aqui na Terra e não apenas quando chegarem lá em cima para serem mais um a dizer:

“Ah! Se eu soubesse!” e “Ah! Se eu lembrasse!”

E ouvirem:

“Não te preocupe, meu (minha) irmão (irmã), tu terás uma nova oportunidade”…