imagemTextoCompaixaoAs pessoas que possuem uma consciência social, sentem compaixão pela enorme parcela da humanidade que sofre por sua condição desumana de miséria, de fome, de falta de mínimas condições de sobrevivência. Mas, geralmente, esquecem de sentir compaixão por uma menor parcela de pessoas que, direta ou indiretamente, cria ou colabora para a co-criação ou a manutenção disso, as que, enfeitiçadas pela materialidade, optam pelo ganho financeiro abusivo, pelo desejo de poder, de status, de “aproveitar a vida”, em que o fim justifica os meios. Não é preciso ser sociólogo ou matemático para entender que, se existem 10 moedas e uma pessoa deseja ser dona de 9 moedas, restará apenas 1 moeda para ser dividida pelas outras 9 pessoas. E, com isso, quem possui 9 moedas vive “bem” e os que dividem a moeda restante, vivem “mal”. O que eu quero colocar aqui em debate é a compaixão pelas pessoas que, de uma maneira ou outra, criam a miséria ou colaboram para a sua manutenção.

Assim como existem Espíritos superiores, que já alcançaram um grau de evolução muito acima do nosso, que já estiveram encarnados aqui na Terra ou pertencem a outras dimensões, e têm como missão ajudar a quem pedir, existem Espíritos inferiores, que são pessoas que, quando encarnados, cometeram atos tenebrosos, afastaram-se das normas morais divinas e, após desencarnar, ficaram aqui na crosta ou foram para as zonas abissais. Enquanto aqueles vivem para fazer o bem, esses vivem para fazer o mal. Os Espíritos superiores querem a nossa evolução, os inferiores, a nossa involução. Todos têm a capacidade de acessar a nossa mente e nos influenciar, a fazer o bem, coisas boas, ou fazer o mal, coisas ruins.

   OndeEstaOAmor      Eu sei que não, mas muitas vezes, e cada vez mais, a impressão que passa para nós, pessoas “de bem”, é que o Amor está desaparecendo, substituído pela Disputa. Eu sei que o Amor existe, persiste, e, que no final, sempre vence, mas por que a Disputa está ainda vencendo?

         Disputa-se tudo: ideologias, religião, ideias políticas, paixões clubísticas, direita, esquerda, quem está certo, quem está errado, quem é terrorista, quem não é, quem pode ter a bomba, quem não pode, de quem é a terra, de quem não é, quem é o responsável, quem é o irresponsável, enfim, antes de preencher todo esse espaço com questionamentos, me atenho a apenas um: Onde está o Amor?

Venho acomExiste afrodescendentepanhando há algum tempo a iniciativa de dedicar uma certa parcela de matrículas nas Universidades Federais aos afro-descendentes e fico me perguntando: O que são afrodescendentes? Se nós olharmos pela cor da pele, são mesmo, mas se olharmos pelo prisma reencarnacionista, são Espíritos que nessa atual encarnação vieram nessa cor de pele. Podemos dizer, então, que todos os negros são afro-descendentes? Quantos deles já foram brancos em outras encarnações? Quantos brancos já foram negros em outras encarnações? Os negros “são” negros ou “estão” negros? Eu “sou” brasileiro ou nessa atual encarnação, nasci no Brasil? Já me vi na encarnação anterior, um escritor russo, eu era russo ou tinha encarnado naquele país? Na encarnação anterior eu fui um mendigo, hoje sou médico... Eu “sou” gaúcho, ou nasci nesse estado nessa vida atual?